Page tree
Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Agora que criamos o nosso diagrama de classe no passo anterior, vamos aprender como gerar a camada de persistência e gerenciá-la.

Essa página é parte de um tutorial, veja mais detalhes sobre o conteúdo abordado aqui em Camada de persistência.


A Camada de persistência é a parte da aplicação responsável pela comunicação com o banco de dados. Permite o acesso e a atualização em diferentes bancos de dados.

Visão Geral

Ao gerar a camada de persistência, serão criadas a camada DAO (Data Access Object - Objeto de acesso a dados) e a camada de Entity (entidade), que estará configurada para montar o banco de dados selecionado no diagrama.

Na Figura 1.1 vemos os passos necessários, descritos logo abaixo, para selecionar as entidades e gerar essas camadas.



Figura 1.1 - Gerando a Camada de Persistência das classes Livro e Reserva


  1. Gerar camada de persistência: abre a janela com a funcionalidade.
  2. Classes: mostra as classes selecionadas para a geração.
  3. "…": abre a janela de seleção das classes.
  4. Lista de seleção de classes: lista quais as classes do diagrama serão geradas.
  5. Selecionar: botão de confirmação das classes selecionadas.
  6. Namespace: o nome padrão do namespace é app, caso altere, as camadas dao e entity serão criadas em um novo endereço.
  7. Tipo de geração: define o que será feito com as tabelas do banco apontado ao rodar o projeto.
    • Criar ou Atualizar Tabelas: use essa opção para gerar as tabelas do banco de dados pela primeira vez ou caso tenha adicionado novas classes e não fez alterações nas que já existiam. Essa opção não apaga os dados do banco de dados.
    • Apagar e Recriar Tabelas: apaga todas as tabelas do banco de dados, incluindo os dados, e recria tudo novamente com as alterações feitas no diagrama de dados.
    • Utilizar Tabelas Existentes: não realiza alterações no banco de dados, apenas cria as camadas dao e entity.
  8. Gerar: botão que gera as camadas dao e entity das classes selecionadas.


Após gerar a persistência, as classes Java poderão ser encontradas nas pastas "entity" e "dao" do pacote selecionado (Figura 1.2).



Figura 1.2 - Camadas dao e entity, destaque para as classes geradas nos passos abaixo


Por padrão, todo projeto criado no Cronapp vem configurado para usar um banco de dados H2 (banco interno ao projeto). Porém, até o momento, nenhuma alteração foi feita no banco de dados, isso só ocorrerá após executar a aplicação. Faremos isso mais tarde.



Passos

Gerar camada de persistência

Abra o diagrama de dados, clique no botão Gerar camada de persistência (1 da Figura 2.1), abra a janela de seleção de classes (2), selecione somente as classes Livro e Reserva (3) e clique em Selecionar (4). Por fim, clique no botão Gerar (5 da Figura 2.1).


Figura 2.1 - Gerando a camada de persistência


Sempre que uma nova classe é inserida ou o tipo de geração de persistência é modificado, a janela de Conflitos irá aparecer (Figura 2.2). Ela informa os arquivos que serão alterados após essa ação - então, clique no botão Aplicar alterações aos itens marcados.


Figura 2.2 - Janela de conflitos


Após isso, uma janela de informação aparecerá informando que tudo ocorreu com sucesso. Clique no botão de OK para fechar a janela (Figura 2.3).


Figura 2.3 - Informação sobre o status da camada de persistência

Criar o banco de dados

O nosso banco de dados local (H2) ainda não foi criado, pois ainda não executamos nossa aplicação pela primeira vez. Assim, clique no ícone Debug (destaque 1 da Figura 2.4) e aguarde até o ícone Abrir navegador (2 da figura 2.4) ficar habilitado. Em seguida, clique no ícone Banco de dados (3), para abrir a janela de configuração dos bancos do projeto; clique no ícone Manipular dados (4), para abrir uma nova aba com a janela de acesso ao banco.

Como podemos ver, as classes do nosso diagrama geraram tabelas, inclusive as que criamos: LIVRO e RESERVAS. Para ver os dados de uma tabela, basta selecionar uma no menu lateral (5), para criar uma consulta simples (6) e clicar no botão Run, logo acima da consulta. O resultado será exibido abaixo da consulta (7).


Figura 2.4 - Banco criado após executar a aplicação


Após isso, pare a aplicação clicando no ícone Parar (8 da figura 2.4).



  • No labels