Skip to end of metadata
Go to start of metadata

O Git é um sistema de controle de versão distribuído, usado principalmente para o controle de versão de software, mas que também pode ser usado para registrar o histórico de qualquer outro tipo de arquivo. Criado em 2005 por Linus Torvalds para o desenvolvimento do kernel Linux e logo a plataforma foi adotada por diversos outros projetos. O Git (site oficial) é um software livre, distribuído sob os termos da versão 2 da GNU General Public License.

Importando projeto de um repositório

Antes de começar é preciso ter certeza de que se tem um ambiente minimamente preparado para reproduzir o exemplo. Abaixo estão os requisitos principais.

Requisitos:

  1. Repositório criado em algum sistema de versionamento na nuvem (Git ou SVN).

Importante:

Projetos criados fora da plataforma Cronapp e importados podem ter alguns componentes Low code não funcionais. Porém, será possível continuar o desenvolvendo em modo High code.


A IDE Cronapp permite a importação de projetos a partir de um repositório SVN ou GIT. Para tanto, cria-se um novo projeto e selecione a opção O projeto está sob controle de versão? (Figura 1), dando um nome para seu projeto.

Figura 1 - Selecionando projeto com controle de versão

Configurando o controle de versão

Após clicar em finalizar o projeto, uma janela para inserir os dados do projeto versionado será será aberta. 

Figura 2 - Configuração do controle de versão

  • Protocolo: escolha do tipo de controle de versão, GIT ou SVN.
  • URL do Repositório: campo onde deve ser colocado o link do repositório.
  • Anônimo: habilitando esse campo, não será necessário informar usuário e senha.
  • Usuário: o nome do seu usuário no repositório do projeto.
  • Senha: a senha do seu usuário no repositório do projeto.
  • Nome do Autor: nome que será exibido no commit.
  • E-mail do Autor: e-mail que será exibido no commit.
  • Branch: define qual branch será importada.
  • Atualização: botão que realiza a consulta e exibe a lista com todas as branchs do projeto no campo de seleção.
     

Importante:

Endereços de projetos GIT sempre terminam com a extensão ".git" e deve ser informado no campo URL do Repositório.

 

Depois de todos os campos necessários preenchidos, clique em Importar e aguarde até que uma mensagem apareça informando que o projeto foi importado com sucesso.

Exportando um projeto para um repositório

Ao criar um novo projeto no Cronapp, você poderá exportá-lo para um repositório GIT. Para isso, clique com o botão direito do mouse sobre o nome do projeto e selecione a opção Exportar (Figura 3), em seguida escolher a opção Exportar para repositório git (Figura 4) e clique em Avançar.


Figura 3 - Exportando projeto para um repositório Git 



Figura 4 - Escolhendo a opção Exportar para repositório git 

 

Na tela seguinte, você deverá informar suas informações do GitHub, como mostra a Figura 5, e selecionar a opção Finalizar. Dessa forma, seu projeto estará no controle de versionamento, bastando somente verificar na página do repositório criado no GitHub.


Figura 5 - Preenchendo as informações para exportação do projeto
 

 

Importante:

Endereços de projetos GIT sempre terminam com a extensão ".git" e deve ser informado no campo URL do Repositório.

Realizando operações no repositório

Com o projeto criado, é possível realizar diversas operações no repositório, para isso basta acessar a opção Equipe, clicando com o botão direito na raiz do projeto. A figura 6 mostra as operações do GIT que poderão ser utilizadas no seu projeto.

 

Figura 6 - Operações no repositório

 

Saiba mais

Para mais informações sobre como usar essas operações acesse a Documentação oficial do GIT.

Commit

A operação de commit apenas salva as alterações, para enviar pra o repositório GIT use a funcionalidade Push. Após realizar qualquer uma das operações, uma mensagem aparecerá informando que a operação foi realizada com sucesso. 


Figura 7.1 - Realização da operação commit


Ao clicar no arquivo alterado aparecerá a janela do código mostrando depois e antes da mudança, além de especificar o local que houve a alteração.

Figura 7.2 - Depois e antes da mudança do arquivo

Pull

A operação pull faz com que seu repositório local seja atualizado com as modificações do repositório remoto feito por outras pessoas.

Fetch

Com essa operação você irá sincronizar o seu repositório local com o repositório remoto, semelhante ao pull, porém o comando fetch apenas traz os dados para o seu repositório local, portanto, ele não faz o merge automaticamente com o seus dados ou modifica o que você está trabalhando atualmente.

Push

Quando as modificações realizadas no seu projeto estiverem prontas para serem enviadas para o repositório remoto, você deverá utilizar a operação push. Essa operação poderá ser realizada após um commit ou no momento em que um commit está sendo feito.

Clean

Com essa operação você removerá todos os arquivos do seu projeto que não estarão sob o controle de versionamento. Uma mensagem de confirmação aparecerá perguntando se você deseja realizar a operação clean.

Reset

Com essa operação você poderá desfazer as alterações do último arquivo modificado. Uma mensagem de confirmação aparecerá perguntando se você deseja realizar a operação reset. Fique atento ao fato de quando realizada, ela não será mais desfeita.

Reset Hard

Essa operação faz com que o projeto volte para o estado original, apagando até as configurações que foram salvas.

Git Flow

Com essa opção você criará branchs que seguem as "regras do Gitflow".

Dica

Para saber mais sobre o Gitflow acesse: [Oculto] ii. Trabalhando em equipe (conceitos Git Flow).

Merge

Com essa operação você poderá fundir uma branch em outra. Para isso, basta escolher a branch para qual você deseja levar suas alterações (Figura 8).


Figura 8 - Escolhendo a branch para o merge  

Reverter Alterações

Com essa opção você poderá reverter todas as alterações realizadas no seu último Commit. Ao selecionar essa opção você deverá informar em quais dos arquivos alterados você deseja aplicar essa operação (Figura 9).


Figura 9 - Escolhendo arquivos para reverter alterações

 

Trocar Branch

Nessa opção você poderá trocar para branches criadas anteriormente ou criar uma nova branch.



Figura 10 - Opções para branches


 

Saiba mais

Para mais informações sobre como usar essas operações acesse a Documentação oficial do Git.

Nesta página

 

  • No labels